fbpx

Programa Minha Casa Minha Vida: governo libera recursos de R$ 47 milhões

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email

Rogério Marinho, novo ministro de Desenvolvimento Regional, prometeu que iria avançar com o programa do governo Minha Casa Minha Vida. E cumpriu.

Na terça-feira (11) o ministro tomou posse do cargo e informou na cerimônia em Brasília que destravaria o programa Minha Casa Minha Vida até a quinta-feira (13). Na data exata, a negociação com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães fechou em R$ 47 milhões para os recursos do Minha Casa Minha Vida em 2020.

Além disso, Rogério Marinho pretende reestruturar o programa com a colaboração de seu antecessor do cargo, Gustavo Canuto, também de outros ministérios ligados ao Desenvolvimento Regional e o setor da construção civil.

“Esse é um momento de buscarmos, primeiro, o que já foi tratado pelo ministro anterior, pelos diversos órgãos do governo que têm afinidade com a área, continuarmos esse processo de consulta junto à sociedade civil, principalmente o setor de construção civil, que emprega de forma intensiva e é um setor importante e estratégico, e submetermos as possibilidades ao presidente da República para termos uma definição, espero que isso seja o mais breve possível”, afirmou.

Na reestruturação está sendo estudada a possibilidade de contemplar o beneficiário com mais liberdade na definição do imóvel, como por exemplo, a escolha do engenheiro. Outra proposta é que o programa mude de nome.

Com a liberação do recurso anunciado, as famílias cadastradas no programa Minha Casa Minha Vida poderão utilizar a contribuição do FGTS como subsídio, e desta forma reduzir a fila dos pedidos de financiamento.

Obstáculos do programa Minha Casa Minha Vida

Programa Minha Casa Minha Vida Governo Federal
Programa Minha Casa Minha Vida Governo Federal

Em 2019 o Minha Casa Minha Vida sofreu com impasses do governo, colocando em ameaça a existência do programa.

Em setembro do ano passado, com a falta de dinheiro para dar continuidade nos investimentos, o FGTS foi escolhido para bancar a totalidade das subvenções das faixas 1,5 e 2 (destinadas às famílias com renda de até R$ 4 mil), neste formato, as famílias ganham um desconto no valor do imóvel e juros mais baixos do que o costume praticado.

Para o ano de 2020, o governo previu um orçamento de R$ 295 milhões destinados para o MCMV, acontece que esse valor está fora da regra, uma vez que o acordo com a União, é que a mesma bancasse 10% de entrada do total de recursos, portanto, o governo deveria disponibilizar R$ 900 milhões.

Entenda o programa Minha Casa Minha Vida

Apartamento Village Minha Casa Minha Vida
Apartamento Village Minha Casa Minha Vida

Com o objetivo de solucionar as dificuldades habitacionais da população brasileira, o programa Minha Casa Minha Vida surgiu em 2009. Na época, o Brasil possuía um déficit habitacional de 21% da população, segundo dados do IBGE.

O Minha Casa Minha Vida chegou trazendo a oportunidade da casa própria para diversas famílias brasileiras.

Desta forma, oferece condições especiais de financiamento em parceria com estados federativos, municípios e empresas do setor de construção civil.

As famílias que tem direito ao programa estão descritas em 4 faixas:

Faixa 1 – Famílias com renda de até R$ 1.800,00: financiamento de até 120 meses, com prestações mensais que variam de R$ 80,00 a R$ 270,00, conforme a renda bruta familiar.

Faixa 1,5 – Famílias com renda de até R$ 2.600,00: taxas de juros de apenas 5% ao ano e até 30 anos para pagar e subsídios de até 47,5 mil reais.

Faixa 2 – Famílias com renda de até R$ 4.000,00: renda bruta de até R$ 4.000,00 com subsídios de até R$ 29.000,00.

Faixa 3 – Famílias com renda de até R$ 7.000,00: para famílias com renda bruta de até R$ 7.000,00​​, o Programa Minha Casa Minha Vida oferece taxas de juros diferenciadas em relação ao mercado para você conquistar uma casa própria.

O programa é válido tanto para habitação urbana quanto rural (com condições diferenciadas, consulte clicando aqui), e para se inscrever no benefício, basta ir até uma agência da Caixa com os documentos necessários:

  • RG
  • CPF
  • Carteira de trabalho e previdência social (CTPS);
  • Certidão de nascimento (solteiro)
  • Declaração de união estável, se prepostos não são casados, mas moram juntos
  • Certidão de casamento (casados no cartório)
  • Certidão de casamento averbada (divorciado)
  • Holerites ou folhas de pagamento dos últimos 3 meses
  • Declaração de quitação tributária (autônomo)
  • Comprovante de residência do último mês (água, luz ou telefone)
  • Declaração de imposto de renda de pessoa física.

As dúvidas referentes ao programa Minha Casa Minha Vida podem ser feitas pelo WhatsApp (45) 99901-2800 ou (45) 3223-2044.

O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 12h.

A Village Construções possui empreendimentos subsidiados pelo programa Minha Casa Minha Vida. Conheça o Residencial San Remo e Amapá na cidade de Cascavel-PR e Portal do Manacá na cidade de Londrina-PR.

O que você achou dessa publicação?

Você também poderá gostar